Resultados de Exames

Paciente Médico Convênio
Central de Atendimento: (54) 3232-7575
Também pelo WhatsApp: (54) 99668-2320

Dicas de Saúde

Tireóide

01/07/2009
Tireóide

A tireóide é uma glândula é uma glândula de formato semelhante a uma borboleta, localizada na região anterior do pescoço, que produz os hormônios tiroxina (T4) e triiodotironina (T3). Estes hormônios têm um importante papel em manter o metabolismo e o funcionamento normal do organismo. As alterações mais comuns são da função, como o hipertireoidismo (aumento da função) e o hipotireoidismo (diminuição da função) e anatômicas, como o bócio, que é o aumento da glândula. O aumento pode ser causado pelo aparecimento de nódulos (bócio nodular).

No hipertireoidismo ocorre aumento da produção hormonal e o corpo funciona de forma acelerada. Os principais sintomas são palpitações, nervosismo, insônia, sudorese e pele quente, tremores das mãos, perda de peso e aumento das evacuações, entre outros sintomas.

Ao contrário, no hipotireoidismo a produção de hormônios tireoidianos está diminuída, o organismo tem as funções lentificadas e isto se manifesta através de sintomas como desânimo, sonolência, diminuição da memória, cãimbras, edema (inchação), queda de cabelos, pele seca e constipação intestinal, entre outros.

Deve-se lembrar que os sintomas acima podem ocorrer em outras doenças e que pode existir alteração da função da tireóide sem sintomas ou sinais evidentes.

Em todos as idades pode ocorrer doença tireoidiana. Nos recém-nascidos o hipotireoidismo congênito ocorre em cerca de um caso para cada três mil a quatro mil nascimentos. Na infância e puberdade a alteração mais frequente é o bócio difuso. Nos adultos, além do hiper e do hipotireoidismo, pode-se encontrar nódulos em 4% da população. Nas grávidas, as tireoidopatias são as doenças endócrinas mais frequentes e, após o parto, 10% podem apresentar a tireoidite pós-parto, que se manifesta com hipertireoidismo ou hipotireoidismo.

As doenças da tireóide ocorrem em ambos os sexos, sendo 5 a 10 vezes mais frequentes nas mulheres do que nos homens. Por isso, a recomendação para que se faça uma triagem para disfunção tireoidiana, através da dosagem do hormônio TSH, a partir dos 35 anos em todas as pessoas, é válida especialmente para as mulheres. Se o TSH for normal, esta dosagem deve ser repetida a cada cinco anos ou com maior frequência se existem familiares acometidos. O ideal é que se tenha a orientação médica em consultas de check-up anuais.



voltar novidades
rodapé
inicial voltar six interfaces
duvidas fale
laboratório clin

CLIN - Laboratório de Análises Clínicas

Rua Libório Rodrigues, n°55
Centro, Vacaria/RS clin@laboratorioclin.com.br
(54) 3232.7575

Laboratórios Associados
Atendimento de Segunda à Sexta: Manhã 7:00h às 12:00 / Tarde: 13:30 às 18:00